Como mudar hábitos?

mudar hábitos

Os hábitos fazem parte do nosso dia a dia. Passamos quase metade do tempo no piloto automático, tomando decisões baseadas em ideias já estabelecidas em nosso inconsciente. E vez por outra, chegamos a conclusão que queremos (ou precisamos) mudar alguns hábitos.

Você já ficou com vontade de mudar tudo de uma vez? A maioria de nós já tentou isso e não funcionou. Então como mudar hábitos? Entender como os hábitos são formados, como funcionam e como mudá-los é essencial para alcançar seus objetivos de vida, sejam eles grandes ou pequenos.

Leia este artigo até o fim e descubra por que alguns hábitos são tão fortes e como fazer para mudá-los.

O que é um hábito?

Hábitos são práticas feitas com frequência ou de modo automático. Geralmente, quando falamos em implementar ou mudar um hábito isso parece algo “grande demais” e, às vezes, distante da realidade atual de cada um.

Porém, um hábito é algo construído. Todos nós construímos hábitos que muitas vezes passam desapercebidos: tomar café, escovar os dentes, tomar banho… E segundo estudiosos da área, existe um “esqueleto” do hábito que envolve: estímulo, resposta e sensação. Ou como ensinou Charles Duhigg em seu livro “O poder do hábito”: deixa -> rotina -> recompensa.

Como funcionam os hábitos?

Tudo começa com uma Deixa (estímulo), que é um gatilho que incentiva o cérebro entrar no modo automático e indica qual hábito deve ser usado a partir dali. Isso leva a uma Rotina (resposta), que significa a forma como executamos a deixa, a ação acionada automaticamente pelo gatilho. Em seguida vem a Recompensa (sensação), que é o ‘prêmio’ por ter realizado a rotina e que ajuda o cérebro a saber se vale à pena ou não memorizar esse loop para o futuro.

Por exemplo você talvez tenha a hábito de tomar um café no meio da tarde enquanto come um doce e conversa com alguém. A rotina (resposta) é fácil identificar: comer um doce com café enquanto conversa.

Mas qual é a deixa? A deixa (estímulo) pode ser: o horário (3 horas da tarde por exemplo), o lugar, o estado emocional (estar entediada), outras pessoas ou uma ação imediatamente anterior.

E a recompensa? Essa parte não é tão óbvia. Talvez você precise ser um detetive para descobrir. No exemplo citado, a recompensa pode ser o prazer pelo açúcar, a fome, a energia que o açúcar dá, a socialização com alguém, a distração de um trabalho entediante…

O importante aqui é que quando você entende como o hábito é formado fica mais fácil encarar que hábitos podem mudar. Não é porque você incorporou um hábito que precisa mantê-lo para sempre, ele não é eterno.

Como mudar um hábito?

Você talvez já tenha pensado: ‘Esta semana eu vou parar de ficar irritada, parar de falar palavrões e de ficar acordada até tarde. E tem mais: vou começar a fazer exercícios, a comer coisas saudáveis e a ter mais contato com meus avós.’ Mas, cuidado: tentar mudar todos os seus hábitos de uma só vez é a melhor maneira de não mudar nenhum!

Em primeiro lugar, seja modesta. Uma pessoa modesta é realista. Ela sabe que seu tempo, sua energia e seus recursos são limitados. Por isso, em vez de tentar mudar tudo de uma vez, ela muda aos poucos. Além disso a pessoa modesta sabe dizer não para algumas coisas.

Em segundo lugar, tente conhecer a si mesma. Pergunte-se: Qual hábito quero mudar? O que me atrapalha a conseguir? O que posso fazer para alcançar este hábito?

Essas perguntas são importantes por que não adianta você querer incorporar um hábito porque acha que ele é certo, mas não ter motivação suficiente para iniciá-lo. Se for assim você vai acabar procrastinando.

Veja agora algumas sugestões de como melhorar seus hábitos pouco a pouco:

Faça duas listas: uma com hábitos que você quer criar e outra com hábitos que você precisa eliminar. Fique à vontade para colocar nas listas tudo o que você acha que precisa mudar.

Numere os itens das suas listas em ordem de prioridade. Coloque em primeiro lugar o que é mais importante.

Escolha um ou dois hábitos de cada lista. Daí, concentre-se neles até conseguir alcançá-los. Quando você já estiver indo bem nesses hábitos, escolha mais um ou dois de cada lista e concentre-se neles.

Você quer acelerar o processo? Então, troque um hábito ruim por um hábito bom. Por exemplo, imagine que na sua lista de hábitos ruins você tenha colocado “assistir TV demais”. E que na lista de hábitos bons tenha colocado “falar mais com amigos e parentes”. Nesse caso, você poderia decidir o seguinte: ‘Em vez de ligar a TV assim que chegar em casa, eu vou ligar pra um amigo ou parente.’

Com certeza, nem todo hábito será mudado com a mesma facilidade e, mesmo que seja, a mudança não acontecerá do dia para a noite. Você precisa ter paciência e perseverar, tentando diariamente. Lembre-se que os hábitos são construídos. Portanto tenha paciência com você mesma.

Por fim, agora que você sabe como os hábitos são formados e viu dicas de como mudar hábitos, leia este outro artigo sobre planejamento pessoal e aprenda os benefícios de um bom planejamento e como fazê-lo.

 

 

Inscreva-se em nossa newsletter

Novidades, promoções e dicas para uma vida mais leve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *